Documento sem título

 NAVEGUE
 Principal  
 Agenda  
 E.B.D.  
 Estudos  
 Galeria de Fotos  
 Meditações  
 Mensagens (texto)  
 Mensagens (vídeos)  
 CRISTO LIBERTA
 Quem somos  
 Bispo Tiezzi  
 Congregações  
 Fale conosco  
 SERVIÇOS
 Leia a Bíblia  
 Plano de Leitura  
 Guia Comercial  
 ADICIONE




Dê o testemunho
daquilo que o
Senhor fez na sua
vida... Agende com
antecedência!

Procure os Pastores
Sérgio Cruz e
Gutemberg Viana.



Este site é melhor visualizado em
1024 x 768 pixels ou superior.
Use o
Internet Explorer
5.5 ou superior.



Enfim chegou a sua bênção
“Então disse o Senhor a Josué: Olha, tenho dado na tua mão a Jericó, e ao seu rei, e aos seus valentes e valorosos” (Josué 6.2)

Quero chamar a vossa atenção sobre o tempo deste verbo: Olha, tenho dado na tua mão a Jericó... Eu te dei Jericó, isto quer dizer, “agora te dei”. Mas a cidade Jericó continuava firme, bela e famosa pela suas fragrâncias, das palmeiras desafiando a todos.

Tenho certeza que todo o povo de Israel correu para ver as famosas muralhas caídas, mas tudo estava da mesma maneira. E lá acima, estavam os famosos e ferozes gigantes com pedras pesadas e óleo fervente para atirar no povo.

Jericó é uma das cidades mais velhas do mundo. Os muros que a cercavam eram muito fortes com mais de dez metros de alturas e a própria cidade era uma fortaleza. E nesta ocasião de perigo todos se refugiavam dentro dos seus muros.

Mas como o Senhor disse: “Já te dei a Jericó” ... e deu também os seus planos.

O que quer dizer? Quando assim o Senhor falou, assim o assunto está encerrado. Deus é fiel nas suas promessas. Ele prometeu, Ele deu.

Para confirmar nas promessas de Deus encontramos em:

(I Pedro 2.24) “Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para o pecado, pudéssemos viver para a justiça, e pelas suas feridas fostes sarados”

Jesus já levou os nossos pecados e as nossas dores, e castigos na cruz do Calvário, e hoje não temos mais. Agora é somente viver pela fé na graça.


I – Esta é a maneira de Deus pensar.

Ele fala e age como se o assunto tivesse já acontecido. Somente assim podemos entender este texto:

(Romanos 4.17) “Perante aquele no qual creu, a saber, Deus, o qual vivifica os mortos, e chama as coisas que não são como que já fossem”.

Deus pode chamar a existência àquilo que o homem pode julgar ser impossível. Deus trouxe Cristo vivo do sepulcro. Deus trouxe a Sua Igreja à existência. Pode indicar um decreto divino como chamar do nada. Ele é o Deus El Shadday o todo poderoso. Aquele que do nada criou todas as coisas. Ele pode fazer tudo o que quiser, como quiser e quando quiser.

Josué convocou o povo e transmitiu o recado de Deus. Tenho certeza que todos olharam com desconfiança para a cidade. Será que vai acontecer assim? E ouviram também que não era um plano de batalha e mais parecia uma brincadeira de guerra. Imagine só rodear a cidade uma vez ao dia, com sacerdotes, arca e o povo em silêncio, depois regressar ao acampamento.

Amanhã outra vez, e assim por seis dias. Isto parecia ridículo.

(I Coríntios 2.14) “Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não podem entendê-las porque elas se discernem espiritualmente”

Como o homem natural, ou seja, não crente, pode entender que por meio da oração, ou um toque, Deus concede bênção e curas divinas? Como entender um milagre?

O povo de Israel olhava para cima e dizia: O que vai acontecer? Porém dentro dos muros, alguma coisa já acontecia e o povo estava com medo, porque ouviram as histórias deste povo guiado por um Deus real e poderoso. E como este povo passou pelo mar sem se molhar. Podemos entender as palavras de Raabe - a prostituta para as espias:

(Josué 2.9) “Bem sei que o Senhor vos deu esta terra, e que o pavor de vós caiu sobre nós, e que todos os moradores da terra estão desmaiando diante de vós”

Todos sabiam disso. Eu bem sei do respeito que muitos têm de nós por causa da unção de Deus que está sobre nós. Não entendiam o que estava acontecendo, mas temiam porque este era o povo de Deus.

Chegou o sétimo dia e deviam rodear a cidade por sete vezes. Cada volta deveria demorar mais de uma hora. Sete voltas com certeza seria muito cansativa. Os sete sacerdotes com seriedade deviam levar sete buzinas de chifre de carneiro. Na sétima volta deviam tocar forte e o povo deveria gritar. O homem de Deus incitava a gritar... Esta sempre será a nossa tarefa. E os muros caíram. E a cidade foi invadida.


II – Porque foi necessário tudo isso?

Simplesmente porque Deus assim tinha decidido que seria. Muitas vezes, nos perdemos as bênçãos porque queremos fazer a nossa maneira. Porém, se obedecemos a Sua Palavra as bênçãos acontecerão.

Quantas pessoas me perguntam e porque desejam entender os planos de Deus com a nossa inteligência. Normalmente agimos como disse Tomé em referência à ressurreição de Jesus:

(João 20.25) “Se eu não vir o sinal dos cravos, e não puser a minha mão no seu lado, de maneira nenhuma crerei”

(João 20.27) “Depois, disse a Tomé: Põe aqui o teu dedo e vê as minhas mãos, chega a tua mão e põe no meu lado, não seja incrédulo, mas crente”.


Em outro milagre Jesus disse ao jovem lunático:

(Marcos 9.23) “Se tu podes crer; tudo é possível ao que crê”

Esta resposta vale para todos nós, se você tem fé verás a glória de Deus.


III – Porque há bênção hoje?

Eu por muito tempo acreditei em um Cristo histórico que tinha feito milagres somente no passado. Mas graças a Deus os meus olhos foram abertos e pude sentir e ver a graça de Deus na minha vida e entender que Jesus permanece o mesmo.

(Hebreus 13.8) “Jesus Cristo é o mesmo ontem, e hoje e eternamente”

As suas promessas são reais e o seu poder é ilimitado.

Vejamos em uma oportunidade Jesus propositadamente chega atrasado por quatro dias a um enterro de seu amigo Lázaro. As duas irmãs estavam desesperadas e tristes.

(João 11.21) “Disse pois Marta a Jesus: Senhor, se tu estivesse aqui, meu irmão não teria morrido”

(João 11.25) “Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim ainda que esteja morto, viverá e todo aquele que vive e crê em mim nunca morrerá. Crês tu isso?


Depois dessas palavras ordenou que tirassem a pedra da entrada do túmulo. Do susto ao pavor. Será que o Mestre entendeu que Lázaro morreu há quatro dias? Não podes tirar a pedra, é impossível.

Quantas vezes estas palavras “é impossível” tem atormentado o seu ser? É impossível aos homens, mas não à Deus. Não vê que não pode ser? E Lázaro ressuscitou antes da ordem de vir para fora. O seu corpo se recompôs, como? Só Deus pode explicar.

Ali estava Jesus o Ungido de Deus para fazer a Sua obra.

(João 11.40) “Disse-lhe Jesus: Não te hei dito que, se creres, verás a glória de Deus?

Lázaro saiu, para fora do túmulo tendo ainda os pés e as mãos amarrados.


Epílogo.

Se creres nas promessas de Deus e pode crer que, para Ele, tudo é possível, podes crer que as Suas bênçãos estão chegando na sua vida.

Quantas coisas não entendemos e usamos? Como entender o funcionamento de um notebook? Como entender o celular? É isto tão complicado e até impossível de entender, mesmo assim o usamos.

Por que não usar a fé para sermos abençoados?

Uma manhã de segunda-feira, minha esposa Lourdes acordou-me bem cedo, e me deu uma boa notícia. Tinha chegado o carro novo da Miriam. Mandou-me olhar bem debaixo da janela onde ela dizia estava um carro novo “verde azeitona”. Quis que fosse a ver, mas não havia nada. Ela insistia que tinha um carro, mas não havia nenhum carro. Mesmo assim chama por telefone a Miriam e informa que o carro novinho estava ali. Estava na sua mente.

Miriam veio correndo, mas não havia nenhum carro.

Ela informou que no sábado tinha comprado um consórcio de 50 meses. Telefonou para lá e deram a notícia que tinha sido sorteada, mas havia somente um carro verde azeitona.

Duas horas mais tarde lá estava o bonito carro, no mesmo lugar e da mesma cor que Deus tinha mostrado.

Quando Deus revela Ele cumpre.


“Amar é a minha vida e abençoar é a minha mensagem”

Mensagem Postada em 18/01/2015 por: Bp. Tiezzi

       


Conheça outros trabalhos dentro do nosso Ministério.




Desenvolvimento e Hospedagem